segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Nunca pus os pés em uma academia, não sou adepto de suplementos, nem se quer fiz a dieta da lua, do tomate, da maçã....


Tenho o hábito de assistir tevê, escutar rádio e ler jornais e revistas. Sempre percebi a atenção dada por esses meios de comunicação à construção de um corpo esteticamente ‘perfeito’. No auge dos meus 75 Kg, excesso de células adiposas e gordura localizada, nunca pus os pés em uma academia de ginástica, não sou adepto de suplementos, nem se quer fiz a dieta da lua, do tomate, da maçã ou da sopa e muito menos faço parte da geração perca 10 Kg em um mês.
 


 
Mas essa não é a realidade em que vivemos, por isso posso me orgulhar de dizer que sou uma exceção a regra. Pessoas saudáveis com o IMC em dia e com o humor estável, de um dia para o outro tornam-se completamente neuróticas ao abrir uma revista e ver um modelo todo trabalhado no photoshop com aqueles músculos torneados e as globais com a famosa cinturinha de pilão. Tanto a mídia quanto à publicidade faz isso de modo bem sutil, sem se quer que você perceba que tudo aquilo foi planejado para que a sua pessoa sinta culpa, mas muita culpa se a sua calça não couber mais na sua cintura! Vivemos numa ditadura da beleza em que as pessoas vivem em meio à insegurança, medo e angústia.

O que essa cultura dissemina é que se você é uma pessoa um pouco acima do peso, meio feio ou coisa do gênero dificilmente conseguirá um emprego que não seja atrás de um balcão e muito provavelmente não conseguirá ficar com a garota ou o garoto x ou y. E devido a tudo isso a sociedade cria um perfil de uma pessoa perfeita (o que não existe), vive-se em um lugar onde as mulheres precisam ser longilíneas e trabalhadas nas curvas, quase uma Barbie e onde os homens não podem faltar se quer um dia a academia, pois seu melhor amigo nunca foi o cão e sim o professor de educação física do ginásio 100% adepto do ADE.

O mau do século é a idade dos trinta: as mulheres são as que mais sofrem com tudo isso, o medo do aparecimento dos primeiros fios brancos, as celulites se intensificam cada vez mais sem falar nas rugas. A mulher começa a rejeitar o próprio corpo, sonha em ter quinze aninhos de novo e recorre a cirurgias plásticas produtos de beleza e dietéticos e sente-se culpada por ter envelhecido e por sua pele não ser mais a mesma. Pura ilusão!! A idade chega para todos independente do físico que se tenha.

Muita hipocrisia acreditar que você vai a uma academia de ginástica por uma questão de saúde, vai fazer uma dieta para ficar em dia com o seu médico, não se iluda: o pior cego é aquele que não quer enxergar, já dizem os clichês. Você faz tudo isso porque a mídia dita os padrões de beleza de uma sociedade totalmente incapaz de ter um bom relacionamento com o espelho. Não acredite em nada do que eles dizem, você é lindo mesmo que a tevê não diga!
 
Texto produzido por Paulo Roberto, aluno do IFBA (campus Salvador).

2 comentários:

  1. Realmente, o texto de Paulo merece todos os aplausos!!! Obrigada pela visita!

    ResponderExcluir

Seu comentário será postado após avaliação.